Início » Resolucoes » RESOLUÇÕES SOBRE A VITICULTURA EM ZONAS DE FORTE DECLIVE REUNIÃO PLENÁRIA DA AREV – STUTTGART 23.04.2013

RESOLUÇÕES SOBRE A VITICULTURA EM ZONAS DE FORTE DECLIVE REUNIÃO PLENÁRIA DA AREV – STUTTGART 23.04.2013

Tuesday 23 Apr 2013

Le 23 Apr 2013 -

STUTTGART

RESOLUÇÕES SOBRE A VITICULTURA EM ZONAS DE FORTE DECLIVE
REUNIÃO PLENÁRIA DA AREV – STUTTGART 23.04.2013


A viticultura europeia também é caracterizada por vinhas situadas em terrenos marcados por declive muito forte ultrapassando os 30%. Este tipo de viticultura desenhou paisagens que imprimiram uma marca particularmente forte do ponto de vista paisagístico e ambiental, desempenhando um papel fundamental na preservação dos solos e da gestão da água. Nestas condições, graças à drenagem dos terrenos, à exposição das plantações e das variedades existentes, aí se produzem vinhos com uma grande especificidade. Os custos desta viticultura, extremamente elevados, põem em risco este ambiente de produção, devido em parte à crescente concorrência que limita as margens de rendimento dos viticultores. O risco de abandono destes territórios com plantações vinícolas, que não têm uma alternativa de produção, expõe a comunidade a um empobrecimento ambiental fazendo cair sobre a mesma os custos e os danos relacionados com o abandono e a degradação dessas zonas, devendo juntar a este facto um declínio socioeconómico ligado à perda dessas paisagens vitícolas atualmente presentes nestas áreas e que constituem uma atração turística incontornável e importante para as mesmas.

Face aos viticultores que operam nestas áreas, que realizam uma ação inestimável de prevenção de fenómenos naturais, tais como a erosão e os deslizamentos de terra provocados pelas águas de superfície não geridas, e que desempenham também um papel importante de defesa e de preservação do património vitícola e paisagístico, a AREV exige que as instituições europeias contribuam dando uma ajuda face ao aumento dos custos, à dificuldade e à pluralidade das funções e ao reconhecimento do papel social e ambiental desempenhado pela viticultura em terrenos de forte declive (superior a 30%). Torna-se essencial prever um regime jurídico específico para este tipo de viticultura, com o objetivo de destacar o seu caráter de excelência e de notoriedade.

Tendo em conta as características do ambiente no qual se situa a viticultura em zonas de forte declive, a saber a defesa e a conservação das zonas paisagísticas e de prevenção do risco hidrogeológico, convém salientar que tal intervenção de apoio poderia encontrar o seu devido lugar no âmbito da ajuda ao desenvolvimento rural (FEADER).